JESUS ESTÁ CHEGANDO!

Sublime chamado e ação no Bem

O que um encontro com Jesus, o Divino Mestre, é capaz de provocar no espírito humano? Que profundas modificações podem advir de um diálogo com o Cristo Planetário? Uma mulher há mais de dois mil anos teve essa experiência, junto ao poço de Jacó, e as repercussões que a conversa causou em seu coração servem-nos até os dias atuais como um exemplo de decisão firmada no Bem.

Fábio Moreira

De um lado, um Homem que foi o divisor de águas da Humanidade; do outro, uma pobre criatura que pertencia a um povo visto pelo poder judaico vigente como um mal a ser integralmente desprezado. Uma introdução breve para resumir, até para os poucos entendidos, de que se trata do extraordinário acontecimento espiritual que se deu entre Jesus, o Messias prometido desde Moisés (1250 a.C.), e uma mulher que residia na região da Samaria.

O contexto do histórico conflito

Quando se deu a morte do Rei Salomão, novecentos anos antes da Primeira Vinda Visível de Jesus, seus filhos Roboão e Jeroboão tiveram um desentendimento que dividiu o povo judeu em dois reinos: dez tribos ficaram ao norte do país sob o reinado de Jeroboão (tendo sua capital em Samaria), e as outras duas (Judá e Benjamin) ficaram ao sul, sob o reinado de Roboão, com capital em Jerusalém.

Quase duzentos anos depois, mais precisamente no ano 722 a.C., o reino de Samaria foi vencido pelo rei assírio Assurbanipal, e grande parte do povo foi levado à Assíria em cativeiro. Durante esse período, povos pagãos migraram para Samaria, e muitos casamentos mistos se deram entre os judeus que permaneceram na região e esses pagãos — o que era proibido pela lei de Moisés. Por causa desse fato, surgiram então as primeiras dissenções por parte dos judeus em relação aquele povo, resultando na discriminação que era comum quando o encontro entre Jesus e a mulher samaritana aconteceu.

O início de uma mudança

“Jesus e a mulher samaritana” | Autor: Marcantonio Franceschini, 1700

Contudo, o prenúncio de uma mudança de postura havia chegado. Jesus, que então se encontrava na Judéia, partiria rumo à Galiléia — mas no meio desse percurso estava Samaria, fato que tornava obrigatório dar uma boa volta para todos os que desprezavam os samaritanos: “O caminho contornando Samaria levava o dobro do tempo, ao invés dos três dias necessários indo direto da Galiléia a Jerusalém, porque evitando Samaria era preciso atravessar o rio Jordão duas vezes para seguir um caminho a leste do rio (Vita 269). O caminho através de Samaria era mais perigoso, porque eram comuns os ânimos se exaltarem entre Samaritanos e Judeus”, relata o Dr. Eli Lizorkin-Eyzenberg, em seu artigo Revisando a História da Mulher Samaritana, publicado no site do Instituto Israel de Estudos Bíblicos*¹.

Mesmo em vista de todos esses desafios, “era-lhe necessário passar por Samaria” (Evangelho do Cristo, segundo João, 4:4). E assim o fez. Após longa caminhada, o Cristo de Deus pediu que todos que O acompanhavam fossem à cidade comprar alimento. Nessa oportunidade, sozinho Ele aguardaria, próximo da hora-sexta (meio-dia), alguém muito especial, cuja agenda já teria sido reservada há séculos para tal acontecimento.

O encontro enfim se dá, o diálogo claro e objetivo ocorre, inédito, didático, respeitoso, sem preconceitos, histórico, revelador, profético. Jesus, que “sonda rins e corações”, sabia que daquele “vaso quebrado” poderia reunir os cacos e transformá-lo num “vaso escolhido”. Sabia que, para aquele coração, ao qual pedira um copo de água fria, um poço de Jacó inteiro não poderia mitigar a sede de ternura, de afeto, de amizade e de respeito que sua vida muito necessitava àquela altura. Jesus lhe oferece então a Água Viva de Sua Revelação Maior, e isto bastaria para que as escamas espirituais dos olhos daquela mulher caíssem e sua vida tomasse um novo e valoroso rumo.

A exemplo de João Batista

Os discípulos chegam, o silêncio se faz, e a energia da rivalidade e do preconceito dos alunos em aprendizado emerge; todavia, uma “Mensagem a Garcia”*² já havia sido endereçada. A exemplo de João Batista, aquele coração samaritano partiria para abrir os caminhos como porta-voz do Cristo junto ao seu povo: “Venham, venham ver o homem que me disse tudo o que eu já fiz. Poderia ser este o Cristo? Eles saíram da cidade e foram para o lugar onde Jesus estava. Muitos dos Samaritanos daquela cidade creram Nele, por causa do testemunho da mulher. Assim, quando os Samaritanos foram a Ele, pediram-lhe que ficasse com eles, e Ele ficou dois dias. E por causa das suas palavras, muitos outros creram. Eles disseram à mulher: ‘Agora não acreditamos apenas por causa do que você disse, agora nós mesmos temos ouvido e sabemos que Este é verdadeiramente o Salvador do mundo’” (Evangelho segundo João, 4: 28 a 42)

O que fez com que essa mulher pudesse servir de sentinela, tocando sua trombeta de modo que despertasse aquelas pessoas com as quais se deparava no caminho? Sem dúvidas, o sublime chamado do Divino Amigo, a Água da Vida Eterna que jamais permitiria a ela sentir sede novamente.  Logo após o encontro, seus primeiros frutos já surgiam a jorrar boa vontade, coragem, força e determinação. A humilde samaritana contagiou, despertou e sacudiu consciências. Estava ali lançada a semente da concórdia entre os povos, a semente da Nova Aliança que viria a ser estabelecida pelo Cristo Ecumênico, o Divino Estadista.

Os novos precursores da Volta de Jesus

Esse mesmo Jesus, cuja Missão, Calvário e Ressurreição todos conhecemos, preenche as páginas de uma publicação que mobiliza povos, arrasta multidões e serve de trombeta alertadora para os fatos ligados à Sua Doutrina Santa, que traz em si a redenção da Humanidade. A Revista JESUS ESTÁ CHEGANDO! convida os novos samaritanos e samaritanas a deixarem de lado seus cântaros e partirem às cidades, aldeias e aos vilarejos, em trens, ônibus, mares e ares, onde estiverem os que necessitam receber uma Água Nova, Viva, Eterna, que não cessa de jorrar, e que por esta razão não pode e nem deve ser desperdiçada.

É assim que fazem os multiplicadores voluntários da Revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!. Esses valorosos sentinelas cumprem com o seu dever para que a Volta de Jesus seja a grande notícia a ser comemorada*³. O Supremo Criador e Governante deste Planeta conta com você, que nos lê, e com todos aqueles que, pela sua ação missionária, entenderão essa mensagem libertadora em Espírito e Verdade, à Luz de Seu Novo Mandamento: “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho de Jesus, segundo João, 13:34 e 35).

Portanto, avante, novos precursores! Há muito trabalho pela frente, e não existe satisfação maior do que a nossa ação no bem, voluntária e missionária, a compartilhar essa Água Viva com uma multidão de sedentos de consciência, harmonia íntima e paz de espírito para alcançar a vitória diante dos obstáculos da vida. Poder ajudar na divulgação dessa mensagem de paz é a nossa conquista, e é o cumprimento do sublime chamado que o Divino Mestre faz a cada um de nós.

 

TORNE-SE UM MULTIPLICADOR VOLUNTÁRIO DA REVISTA JESUS ESTÁ CHEGANDO!


Faça parte você também! Multiplique essa mensagem de Paz aos corações! Dirija-se à Igreja Ecumênica da Religião do Terceiro Milênio mais próxima de sua casa. Para outras informações, ligue: 0300 10 07 940 (custo de uma ligação local mais impostos).

 


*¹ “Revisando a História da Mulher Samaritana” — Confira o artigo completo em https://blog.israelbiblicalstudies.com/pt-br/jewish-studies/revisando-historia-da-mulher-samaritana-joao-4/

*² “Mensagem a Garcia” — Leia mais em https://www.paivanetto.com/pt/ecumenismo/mensagem-garcia

*³ Santo Apocalipse de Jesus, segundo João, 22: 12 e 13.

Ecumenismo

Espiritualidade

Evangelho-Apocalipse

Revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!

Av. Marechal Floriano, 114 • Centro • Rio de Janeiro/RJ20080-002

(21) 2216-7851

jesusestachegando@boavontade.com

Pesquisar