Editorial

A Missão dos Setenta e a Lição do Lobo (I)

Uma das passagens bíblicas que mais aprecio pelas extraordinárias lições que nos oferece é a famosa Missão dos Setenta, constante do Evangelho de Jesus, segundo Lucas, 10:1 a 24.

Nela encontramos importantes diretrizes para mantermos uma postura capaz de suplantar as dificuldades que surgem pela estrada de nossa existência.

Por isso, em 31 de dezembro de 2004, na virada do ano, pela Super Rede Boa Vontade de Comunicação (Rádio, TV e Internet), explanei sobre esse referido texto bíblico.

Para minha alegria, quando da entrada de 2006, vários ouvintes solicitaram que essa pregação fosse novamente transmitida — o que ocorreu em 2 de janeiro do corrente ano — e mais: a queriam publicada.

Atendendo a essas manifestações de carinho e apreço para com a mensagem da Religião de Deus, a Religião do Amor Universal, a Religião do Terceiro Milênio, reproduzo, a partir desta edição de JESUS ESTÁ CHEGANDO!, trechos da análise ecumênica que fiz do capítulo 10 do Evangelho, segundo Lucas, acrescida de novas considerações.

 

Pedro II, Cineac Trianon e um pouco de história da minha vida

 

“Salve o Natal Permanente da Legião da Boa Vontade, por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz!”

 

Dessa forma, o saudoso Alziro Zarur (1914-1979) encerrava a leitura do relatório do Banco da Boa Vontade, assinado por outro grande batalhador Legionário da LBV, Dr. Osmar Carvalho e Silva (1912-1975), no qual apresentava as atividades sociais do Casarão Assistencial nº 1, situado na Rua Alice Figueiredo, 43, Estação do Riachuelo, no Rio de Janeiro/RJ.

Durante largo tempo, ainda aluno do Colégio Pedro II, fui, todos os dias, o portador daquele importante documento. Saía do Colégio correndo, porque tinha de estar, impreterivelmente*1, às 19h30, no gabinete de Zarur, na antiga Rádio Mundial, na Avenida Rio Branco, 181, terceiro andar, no Edifício Cineac Trianon, centro da cidade, pois ele o esperava para dirigir-se ao estúdio de onde irradiaria seus consagrados programas: Campanha da Boa Vontade Jesus Está Chamando! Nunca cheguei atrasado. Nem dispunha de tempo para trocar o uniforme do Colégio Padrão. Mas entregava-lhe os papéis na hora certíssima.

 

O Brado

(É tão marcante aquele brado de Zarur, que vale a pena repeti-lo para Vocês:

Salve o Natal Permanente da Legião da Boa Vontade, por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz!”)

Que saudação mais expressiva para começar um Ano-Novo do que essa? Reverenciar o Natal Permanente de Jesus para os povos, porque, na libertária Religião do Terceiro Milênio*2, não O entendemos como subordinado a qualquer crença terrena, por mais respeitável que seja. Por isso, O proclamamos como o Cristo Ecumênico*3.

Ora, um Libertário não pode viver algemado a pensamentos sectarizantes.

O que veio, então, o Celeste Educador fazer na Terra senão trazer-nos a ambiência especial de Paz para uma Humanidade que ainda se debate na incerteza? Enquanto se mantiver distante de sua origem, que é Divina, viverá chafurdada na confusão constante e destruidora.

O Planeta está se tornando — por culpa nossa, seus habitantes — desclassificado como reduto para a vivência de Seres Humanos.

Discorrendo sobre a alarmante atualidade da população mundial, declarou, por meio do sensitivo LegionárioFrancisco de Assis Periotto, o Espírito Dr. Bezerra de Menezes (1831-1900):

 

Vem aí nova situação geopolítica*4

“Poucos estão prestando atenção. Mas se pegarmos o Apocalipse do Cristo, que o nosso Irmão Maior Paiva Netto bem entende e explica, e analisarmos, baseados em sua pregação, o capítulo e o versículo que focalizam o Armagedom (Apocalipse, 16:16), veremos que, pouco antes do terrível acontecimento, os reis do Oriente adentram o Rio Eufrates (Apocalipse, 16:12). Não se trata de simples coincidência os fatos recentes ocorridos naquela região mesopotâmica. As conseqüências são históricas, completas. Desenvolvem-nas as mesmas personalidades de outrora, pelo processo redentor da reencarnação*5.

“O Rio Eufrates já secou*6, como anuncia o Apocalipse. Os reis do Oriente, enfrentando o poderio bélico do capitalismo desenfreado, avançarão numa sanguinária e terrível batalha que resultará na Guerra Total.

“Os governantes mais lúcidos do Planeta tentam bloquear o acontecimento, porque sabem que em seguida virão problemas maiores.

“Em um primeiro instante, uma ampla devastação. Mortandade jamais vista no mundo. Depois, grandes blocos nunca imaginados começarão a desenhar uma nova situação geopolítica na Humanidade.

 

Só a intervenção de Deus para nos salvar

“Não se esqueçam de que a questão nuclear é um grito da antecipação dos fatos tenebrosos que as criaturas não conseguirão evitar por muito tempo. O mundo será sacudido e parecerá uma pequena bola de gude agitando-se pelo Espaço Sideral. Somente a intervenção de Deus, por intermédio de Forças Multidimensionais, capazes de amenizar a drástica e impiedosa ação humana na Terra, esfriará os resultados catastróficos.

“O orbe não será destruído, porque antes disso Jesus intervirá neste Planeta”…

 

Acerca do que afirma o ilustre Dr. Bezerra de Menezes: ... antes disso Jesus intervirá neste Planeta”, o saudoso Zarur, pregando de improviso em “A Última Batalha de Miguel, o Arcanjo”, que publiquei, em 1982, no Livro de Deus, diz:

 

“(…) Miguel estará presente no Armagedom Final, que se aproxima. Revelação: HAVERÁ INTERVENÇÃO CÓSMICA NO PLANETA TERRA. E ela se fará por intermédio dos Espíritos dispostos e predispostos. É verdade que eles aparecerão em todas as camadas sociais, mas vão preferir as subalternas, principalmente no Brasil, a fim de não se desviarem das suas funções e das suas missões. 

 

“As massas espirituais, em tropel, se apossarão de todas as posições. Triste fim para o mundo religioso e social! Espíritos guerreiros estarão derramados sobre toda carne mediunizada. Cada homem dessa Humanidade vingadora terá a força de cem. Não ficará pedra sobre pedra. E, sobre esses escombros, o Cristo virá em pessoa para o julgamento*7. (…)

“Como se vê, o Armagedom Final não terá, apenas, participantes encarnados, mas, também, desencarnados: os Exércitos de Cima e os exércitos de baixo*8, na carne e no Espaço, unidos por Jesus para a Vitória Final”.

 

É preciso destacar — para o perfeito entendimento do que profetiza o Proclamador da Religião de Deus — que o Irmão Zarur não se refere ao Jesus submetido às crenças, por mais distintas e respeitáveis que sejam, todavia ao Cristo livre de qualquer partidarismo religioso ou ideológico, porquanto Ele não é prisioneiro nem mesmo do cristianismo terrestre.

Igualmente a respeito do Pai Celestial, o sempre lembrado autor de Poemas da Era Atômica, em “Um só Rebanho para um só Pastor” — argumentando que Deus nem é mesmo cristão, como alguns O ainda concebem — pergunta e responde:

 

“(…) Qual a religião de Deus? Deus é católico apostólico romano? Deus é protestante? Deus é espírita? Deus é judeu? Deus é muçulmano? Evidentemente, Deus não pertence a nenhuma religião, a nenhuma igreja particular; todas elas, sim, pertencem a Deus, que não prefere uma em detrimento das outras”.

 

Na Proclamação do Novo Mandamento de Jesus Ecumênico, feita por Zarur, em Campinas, Estado de São Paulo, Brasil, a 7 de setembro de 1959, ele elucida que:

 

Há tantas religiões ou igrejas quantos são os graus evolutivos das criaturas humanas, determinados pelas suas reencarnações. Claro que a Lei da Reencarnação é tão antiga quanto as criaturas de Deus. Doutrinas anteriores ao Espiritismo são reencarnacionistas, como observou Papus, ou seja, o Dr. Gérard Encausse, doutor em Cabala, médico-chefe do laboratório do Hospital Charité, de Paris, diretor da revista L´Initiation, membro fundador do Grupo Independente de Estudos Esotéricos, da Ordem Martinista, da Ordem Cabalista Rosa-Cruz, etc. Escreveu ele: ‘… Com efeito, a Reencarnação foi ensinada como um mistério esotérico*9 em todas as iniciações da Antiguidade. Eis uma passagem dos ensinos egípcios, 3.000 anos antes da vinda de Jesus, sobre a Reencarnação: ‘antes de nascer, a criança viveu; a morte nada termina. A vida é uma volta; ela passa semelhante ao dia solar que recomeça’ (Fontane, Egyptes, 424). (…)”.

 

O Dr. Bezerra de Menezes, no trecho de sua mensagem psicofônica, anteriormente transcrita, refere-se ao Apocalipse. Zarur, que sempre se dedicou a pregar a Palavra de Deus, de forma eminentemente democrática, por sua vez, em outra publicação, expôs que a chave para o entendimento do Livro das Profecias Finais é, justamente, a Lei Universal da Reencarnação. De minha parte, Paiva Netto, preocupei-me em explicá-lo aos Simples de Coração também, porquanto é o Divino Mestre quem admoesta:

 

— (…) Graças te dou, ó Pai, Senhor do Céu e da Terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos do mundo e as revelaste aos pequeninos (Evangelho do Cristo, segundo Mateus, 11:25).

 

Em meu livro Somos Todos Profetas, em “A genialidade que Jesus aprova”*10, escrevi: Os Simples de Coração constituem a genialidade que Jesus tanto deseja que ilumine o mundo. E é a esse talento que Deus revela os Seus segredos.

 

Jesus, o Salvador dos Humildes

Daí, o benefício de se elevar constantemente o pensamento ao Cristo Ecumênico, Entidade Excelsa, livre de sectarismos constringentes ou idéias exclusivistas, portanto, o Redentor dos Humildes de Coração. Aliás, quando exalto essa qualidade de sentimento, não me dirijo à classe social das pessoas, pois, como há tanto tempo inferi, existem pobres humildes e outros cheios de orgulho e rancor — conduta que a nada os conduz, até porque, infelizmente, a corda costuma rebentar do lado mais fraco: a coragem é imprescindível, mas o ódio continua sendo arma voltada contra o peito de quem odeia. Quanto ao mesmo ponto de vista, existem ricos orgulhosos e rapaces e outros de uma simplicidade franciscana. Por isso, pregamos, há décadas, o Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração, que se encontram em toda a parte. (…) O Supremo Criador é quem realmente sabe o que se passa na intimidade de Suas criaturas, quaisquer que sejam suas crenças ou descrenças.

A obrigação de cada um de nós — neste novo ano que se inicia — é lançar a rede, tendo em vista que a proposta do Taumaturgo Celeste é a de que nos transformemos em pescadores de Homens, Mulheres, Jovens, Crianças e de Espíritos*11 — porque os mortos não morrem — para a Sua Seara universalista. Todavia, sem jamais sermos imperiosos em nosso modo de pensar. A época do “crê ou morre” já vai longe, há muito tempo. Graças a Deus!

 

Deus livre de opressores

Esta é a Política de Deus — liberto dos feudos a que alguns ainda O querem manter subjugado — que propagamos, incessantemente, dando prosseguimento a um trabalho iniciado pelo próprio Cristo Ecumênico e que a Religião do Terceiro Milênio vem difundindo, tendo como base a compreensão do Mandamento Novo de Jesus, cuja extraordinária importância o Irmão Alziro Zarur revelou a todos.

Disse o Bom Pastor*12

— Novo Mandamento vos dou: Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes esse mesmo Amor uns pelos outros. (…) Não há maior Amor do que este: dar a sua própria Vida pelos seus amigos.(…) Porquanto, da mesma forma como o Pai me ama, Eu também vos tenho amado. Permanecei no meu Amor (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35 e 15:12, 13 e 9).

Alguns, carpidos pelo excesso de ceticismo atuante, podem pensar resumir-se, o Mandamento Novo, apenas em palavras, uma vez que Shakespeare (1564-1616) costumava reclamar, diante da inoperância de tanta gente, em sua peça “Hamlet”: “words, words, words…”. Contudo, nas Instituições da Boa Vontade de Deus (Legião da Boa Vontade, Religião de Deus e Fundação José de Paiva Netto), interessa-nos, diuturnamente, transformar palavras em atos dignos do Criador.

O interesse Dele é por toda criatura humana e espiritual, sem distinção de fé ou falta de fé. Antes de tudo, Ele ausculta os corações. Para os que têm olhos de ver e ouvidos de ouvir, as barreiras entre a Terra e o Céu já caíram. Já caíram!*13 Os nossos Anjos Guardiães anseiam por nos ajudar, e muito. Entretanto, será que desejamos que eles nos acompanhem e auxiliem?

É necessário que urgentemente definamos a nossa decisão pessoal.

Em marcante encontro da Religião do Terceiro Milênio, na década de 1990, o generoso Espírito Yvonne do Amaral Pereira (1900-1984), famosa médium espírita, declarou o seguinte: — “Respeitamos o livre-arbítrio de todos. Não somos intrusos. Mas queremos auxiliá-los sempre que possível. Por isso, convoquem-nos, e aqui estaremos com Boa Vontade, decididos a ajudá-los. E não desejamos comparecer apenas como acompanhantes, porém, como participantes ativos”.

 

A ciência da coragem

O que significa Natal Permanente de Jesus Ecumênico? É a ambiência melhor para o Ser Humano viver em Sociedade, Sociedade Solidária, Altruística, Ecumênica*14, aquela que propaga o Ecumenismo que se comove com a dor, e que, portanto, atua decididamente para levantar os caídos, alimentando-os e instruindo-os para que, como cidadãos, construam seu próprio destino, para o que é urgente espiritualizá-los também (…). No entanto, essa grande destinação exige de cada um de nós uma atitude de respeito para com o Criador. Para os que Nele não acreditam, é preciso que promovam os mais exalçados sentimentos, tais como Fraternidade, Solidariedade, Compaixão, Justiça, Bondade, entre outros que, como Seres Humanos, possuem dentro de si mesmos. Somente assim teremos condições de galgar os degraus do Conhecimento Divino ou… entendermos o que devemos fazer na Terra, como gente civilizada. Senão, viveremos eternamente batendo com a cabeça na parede. É essencial que todos compreendamos que a humildade é uma ciência da coragem. Não foi sem propósito que Santo Agostinho (354 – 430) ensinava:

 

— Deus triunfa sobre a ruína de nossos planos.

 

Que cabe então à criatura inteligente realizar? Conhecer as Leis Dele e cumpri-las, não ao pé da letra que mata, como advertia Paulo Apóstolo, todavia e sempre: em Espírito e Verdade, como propunha Allan Kardec (1804-1869) e à luz do Novo Mandamento do Cristo, o Amor elevado ao infinito, como pregava Alziro Zarur. E tudo encontrará o seu porto seguro, no transcurso do tempo e consoante o merecimento de cada um, numa visão sublimada da meritocracia de Platão, jamais de acordo com os socavões da impunidade. Experimente! Não custa fazê-lo! Mas é preciso paciência e perseverança. Leibnitz (1646-1716) repetia que “Natura non facit saltum”. Porém, é necessário lembrar que o tempo não cessa de transcorrer e que “a fome é má conselheira”, como advertiu Virgílio na Eneida.

 

Deus é Ciência

O que vem de Deus é Ciência. Há muito tempo, comentei com Vocês que todos os ramos do saber universal são Ciência Divina. Religião é Ciência, Ciência é Religião, porque ambas devem honrar a Ciência Moral, que tem pelas criaturas o mais elevado respeito, não as considerando elemento para fanatização nem como reles cobaias. O pensamento altamente sectário, que ainda infelicita tanta gente, é que sustenta rancores que ensombrecem os olhos da Alma de geniais cerebrações, que muito mais podem fazer, unidas, pelos povos sequiosos de um mundo melhor, e que tanto delas esperam (…). É fundamental afastar esse tabu de que a fé religiosa esteja restrita aos tolos e radicais e de que a Ciência seja reduto apenas dos que possuem o intelecto aguçado, conquanto que, de preferência, distantes do sentimento que liga a Razão ao Espírito. É sempre bom ressaltar que racionalidade em demasia, sem o auxílio do coração — podia dizer da mente sublimada — promove, por exemplo, propostas econômicas*15 que fazem bem a uns e destroem aos demais. (…)

Entremos, pois, em sintonia elevada com o Pai-Mãe Celestial*16 para alcançarmos a Sua Política. No meu livro Reflexões e Pensamentos — Dialética da Boa Vontade — cuja primeira edição foi lançada em 7 de setembro de 1987 —, na página 24 escrevi: Muitas aberrações catalogadas na História como de autoria do Criador do Universo nada mais são do que projeções do deus antropomórfico, criado pelo Homem para satisfazer às suas conveniências. São, portanto, as próprias deficiências humanas, alçadas à condição de divindade!

O mundo é uma revelação constante. O desenrolar da História para muitos é um susto, mas aos que são humildes, diante da Espiritualidade Superior e da Solidariedade sem fronteiras, os fatos se encaixarão de forma perfeita.

 

Verdade verdadeira

Meditando a respeito do urgentíssimo papel da Ciência no deslindamento da Vida Espiritual, se faz necessário entender que enquanto certos cientistas negam uma realidade, alicerçados nos parâmetros que têm como inquestionáveis, qualquer análise prematura torna-se, ipso facto, verdade para os que têm a sua palavra como instância derradeira, causando os mais terríveis prejuízos ao progresso terreno e espiritual dos povos, até que a própria Ciência, apoiada em novos fundamentos, venha desmentir-se a si mesma. É evidente que não é a Ciência quem se desdiz, porém alguns dos seus cultores, por melhores que sejam avaliados. Certa ocasião, numa palestra, em 29 de outubro de 2005, comentei que a Ciência é infalível, os cientistas, não.

 

Ele não era louco

Dou-lhes, como exemplo, o conceito revolucionário do cientista britânico Sir Gilbert Thomas Walker*17 (1868-1958), com a sua “Oscilação Sul” ou “Gangorra Intrigante”. A descoberta dele modificou o entendimento acerca dos efeitos do El Niño no Planeta Terra. Apesar disso, foi, imediatamente, rechaçada pelos seus contemporâneos. Porém, na atualidade, na opinião do Dr. Sandy Tudhope*18, da University of Edinburgh, na Escócia, “o incrível sobre o trabalho de Gilbert Walker é que ele foi uma das primeiras pessoas no campo da meteorologia que pensou grande. Que ligou os padrões de tempo de continentes diferentes. (…) As idéias dele foram criticadas na época, porque as pessoas*19 não entendiam que o tempo e o clima de uma área podiam estar ligados a uma (outra) parte do globo. E, realmente, isso o prejudicou”.*20

Muitas foram as ironias sofridas por Gilbert por parte de seus colegas. Mais tarde, no entanto, confirmou-se que ele estava certo. Instável, mesmo, era o clima de nosso orbe, como todos concluem hoje. De louco, Walker não tinha nada. Os outros é que se mostraram incompetentes.

Ora, quem determina que a Verdade é verdadeira? Os pesquisadores, que amanhã estarão retificando os seus conceitos que chegavam a considerar cláusula pétrea, ou a humildade exigida pela sabedoria? A erudição, quando realmente acompanhada de vasta experiência e espírito modesto diante da Verdade, jamais se precipita, não aceita dogmatismos nem sugere que a Ciência atingiu o curul de sua missão, incluído o fato de que o Ser Humano nem ainda logrou usar parte significativa de sua capacidade mental. Não pode a ilha avaliar, em toda a sua extensão, o continente.

 

Ninguém é ditador de conhecimento*21

No tocante à Vida Espiritual, no meu livro Crônicas e Entrevistas (Editora Elevação, 8ª edição, p. 319, 2000), no capítulo Ecce Deus (Eis Deus), apontei que determinados cientistas e pensadores, quando ingressam na área da Intuição, da Vida Eterna, assemelham-se a crianças pequenas e inexperientes, como que engatinhando nesse campo, a pensar que Espírito tenha a ver com terrores sobrenaturais. Será que tudo o que existe no Universo se encontra ao alcance da noção intelectual humana contemporânea? O nosso presente desenvolvimento mental é o limite do saber? Ora, o Ser Humano nem alcançou o grau de Conhecimento, mas apenas algumas perspectivas dele! (…). Não estou menosprezando quem quer que seja, seria muita pretensão de minha parte. Entretanto, é uma realidade que se vê. Ninguém é senhor do conhecimento pleno. Aliás, custa-me dizer, a uns falta, às vezes, também a coragem intelectual para que desvendem, sem preconceitos e tabus, as regiões do campo do Espírito… Talvez achem que tudo caminha muito bem na limitada esfera da Razão… E digo-o com o devido respeito, ciente de que setor algum do saber terrestre possui a chave de todos os mistérios e méritos. O pensamento humano não se encontra enclausurado em departamentos estanques (…). Dogmatismo em Ciência é aberração.

Ao lhes falar sobre esses assuntos, estou refletindo acerca do inestimável valor da Ciência — para a qual não deve haver barreiras, muito menos levantadas por expoentes seus. Coloco-me, sim, a exaltar os grandes vanguardeiros dela, quando não tiveram a compreensão dos seus pares. Como poderia ser contrário a tão destacado ramo da criatividade humana, se estou utilizando alguns de seus maiores contributos para o progresso das nações: o Rádio, a Televisão e a Internet, neste momento, e a Imprensa, daqui a pouco, pois, com certeza, a turma da Editora Elevação estará publicando trechos desta minha modesta palavra?

 

Considerações

Alguém pode estranhar ter eu me estendido tanto no intróito para o estudo de A Missão dos Setenta e a Lição do Lobo. Explico-lhe tranqüilamente: o lobo de que lhes vou falar não é o da historinha de Chapeuzinho Vermelho, que acabou sendo morto pelos caçadores. Entre esses, de que trataremos, há muitos bons em dialética. Por isso, o meu cuidado em prepararmos novos Setenta x Setenta x Setenta x Setenta x Setenta que Deus estará sempre mandando ao mundo.

 

* * * *

 

ADENDO

 

No documentário “A História de Deus”, da BBC — Episódio “Fé e Ciência”, exibido no Brasil em fevereiro deste ano, pelo canal Discovery, vale salientar essas considerações do apresentador do programa, o professor Robert Winston*22, que, de certa maneira, vêm ao encontro do nosso ponto de vista:

Diz ele:

 

“(…) A Ciência e a Religião são separadas, são formas diferentes de se olhar o mundo natural. Talvez, ambas sejam úteis. Só acho que elas não deveriam falar de certezas. E acredito que é nesse ponto que elas se tornam perigosas.

 

“(…) A Ciência não está equipada para confinar Deus em um tubo de ensaio”. (O negrito é nosso.)

 

 

 

Reflexão

Na definição do acatado Dr. Sir Robert Winston, “a Ciência e a Religião são separadas”. Ora, isso ocorre porque a inspiração de alguns exegetas que honestamente pensam acreditar no Deus Divino, de que nos fala Zarur*23, na verdade encontram-se magiados pelo sinistro deus concebido à imagem e semelhança do Ser Humano infrene.

Ainda em Crônicas e Entrevistas, comento no capítulo “Deus, Equação, Amor” (p. 183) que o maior estorvo para o grande amplexo entre Religião e Ciência, que são irmãs, é a continuação, no palco do saber, do deus antropomórfico, que não prejudica somente o laboratório, como também o altar.

 

(Continua)

 

____________________________

 

*1 Nota de Paiva Netto — Alziro Zarur costumava afirmar que “quem não respeita horário não tem caráter”.

*2 Religião do Terceiro Milênio — Trata-se da Religião de Deus, a Religião do Amor Universal, proclamada por Alziro Zarur, em Maringá, Paraná, Brasil, em 7 de outubro de 1973.

*3 Proclamação do Cristo Ecumênico — Leia o capítulo “Quanto à Dessectarização de Jesus, o Cristo de Deus”, no segundo volume das Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, de Paiva Netto.

*4 Vem aí nova situação geopolítica — Mensagem proferida pelo Espírito Dr. Bezerra de Menezes durante Reunião do Centro Espiritual Universalista (CEU da Religião de Deus), em 8 de março de 2003, em Glorinha/RS.

*5 Reencarnação – Saiba mais sobre o tema no volume I da coleção Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, no capítulo “Paulo Apóstolo e a Reencarnação”, de autoria de Paiva Netto.

*6 Rio Eufrates – Veja capítulo “Fins do mundo”, partes I, II e III, a partir da página 89 do livro Apocalipse sem medo (Editora Elevação, 18a edição). Esta obra faz parte da coleção, de autoria de Paiva Netto, O Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração que, com os livros Somos Todos Profetas As Profecias sem Mistério, já vendeu mais de 1,3 milhão de exemplares.

*7 Comentário de Paiva Netto — Aprendemos, no estudo do Evangelho e do Apocalipse do Cristo, que Deus concede a cada um de acordo com o próprio merecimento de cada um, consoante Jesus adverte em Seu Evangelho, segundo Mateus, 16:27: Porque o Filho de Deus há de vir na glória de Seu Pai, com os Seus Anjos, e então retribuirá a cada um conforme as suas obras. De outra forma, o Divino Chefe estaria criminosamente promovendo a impunidade, hoje muito em voga neste mundo.

*8 Exércitos de Cima e os exércitos de baixo — Ver Profeta Isaías, Antigo Testamento da Bíblia Sagrada, capítulo 24, versículo 21.

*9 Comentário de Paiva Netto — O Dr. Gérard Encausse, Papus, refere-se à palavra esotérico — atualmente confundida jocosamente como magia de esquina, ou coisa de aventureiros —, mas esotérico, cujo significado, segundo encontramos no dicionário Michaelis, consiste no que é “reservado aos iniciados” espirituais. Ora, é missão da Religião de Deus trazer também ao Povo o que antes era privilégio de pequenos grupos mais eruditos, até mesmo na Ciência, naqueles tempos muito perseguidos.

*10 A genialidade que Jesus aprova — Página 36, 44a edição do livro Somos Todos Profetas.

*11 Pescadores de Homens, Mulheres, Jovens, Crianças e de Espíritos — Evangelho do Cristo, segundo Marcos, 1:16 e 17: Caminhando junto ao mar da Galiléia, Jesus viu Simão André, dois irmãos que lançavam rede, porque eram pescadores. Disse-lhes, então: Segui-me, e Eu vos farei pescadores de homens.

*12 Bom Pastor — No Seu Evangelho, segundo João, 10:11, Jesus afirma: Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas.

*13 As barreiras entre a Terra e o Céu já caíram. Já caíram! — No Livro Gênesis, de Moisés, capítulo 28, versículos 10 a 17, lemos este interessantíssimo relato sobre o sonho de Jacó:

A visão da escada

10 Partiu Jacó de Berseba e seguiu para Harã.

11 Tendo chegado a certo local, ali passou a noite, pois já era sol-posto; tomou uma das pedras do lugar, fez dela seu travesseiro, e se deitou para dormir.

12 E sonhou: Eis posta na terra uma escada, cujo topo atingia o céu; e os Anjos de Deus subiam e desciam por ela.

13 Perto dele estava o Senhor*, e lhe disse: Eu sou o Senhor, Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque. A terra em que agora estás deitado, Eu ta darei, a ti e à tua descendência.

14 A tua descendência será como o pó da terra; estender-se-á para o Ocidente e para o Oriente, para o Norte e para o Sul. Em ti e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra.

15 Eis que Eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei voltar a esta terra, porque não te desampararei, até cumprir Eu aquilo que te hei referido.
16 Despertado Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar; e eu não sabia.

17 E, temendo, bradou: Quão temível é este lugar! É a casa de Deus, a porta dos céus.

_____________________________________

Perto de Jacó estava o Senhor — Vide página 93, do segundo volume das Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, a explicação sobre Espíritos confundidos com Deus.

 

*14 Sociedade Solidária Altruística Ecumênica — Paiva Netto, ao formular este pensamento há décadas, propôs a expansão do conceito inicial de sociedade, mostrando que, pela quebra das barreiras, ela não mais pode restringir-se a um grupo de pessoas, de determinado local. Para ele, “(…) o exemplo para que haja fartura — não apenas em benefício de uma comunidade, porém de todo o mundo — vem do Cristo Ecumênico, isto é, liberto de sectarismos. Só pode haver abundância, perfeitamente distribuída, na Sociedade Solidária Altruística Ecumênica em que todos se entendam e cada um reconheça que faz parte de um gigantesco organismo social chamado Humanidade. Um pequeno órgão, por menor que seja, se estiver combalido, afetará o organismo inteiro. Ensinava Zarur: ‘O nervo de dente, tão pequenino, se doer, perturba toda a estabilidade do corpo’”(…). E diz mais Paiva Netto: “Sociedade Solidária, porque é preciso união; Altruística, para que essa aliança se realize sob a égide do Amor Fraterno, exemplificado pelo Cristo, em Seu Novo Mandamento: Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos (Evangelho de Jesus, segundo João, 13:34 e 35); Ecumênica, visto que é necessário entendimento neste Planeta para que ele sobreviva. (…) Conciliar é, portanto, a nossa grande convocação, fundamentados que estamos na extensa experiência ecumênica da LBV: o Brasil e o mundo carecem da vivência imediata do ecumenismo religioso, étnico, empresarial, partidário, social, enfim, o Ecumenismo Irrestrito que nos fala do entendimento entre Seres Humanos e suas nações, com base nos valores mais profundos do Espírito, e o Ecumenismo Total, que derruba as barreiras entre o mundo físico e o Mundo Espiritual, como preconizava Alziro Zarur.”

*15 Propostas econômicas — Leia também “Normas de uma Economia Superior”, constante do livro O Capital de Deus, de Paiva Netto.

*16 Pai-Mãe Celestial — Deus.

*17 Gilbert Thomas Walker (1868-1958) — Físico e professor de Eletrodinâmica da Cambridge University, nos Estados Unidos da América do Norte.

*18 Dr. Sandy Tudhope — Membro do Departamento de Geologia e Geofísica da Universidade de Edinburgh, na Escócia, Reino Unido.

*19 Nota de Paiva Netto — Evidentemente que o Dr. Sandy Tudhope, ao citar “as pessoas”, falava dos colegas do Dr. Gilbert Walker.

*20 Nota de Paiva Netto — Para ilustrar meu raciocínio, transcrevi dois trechos do depoimento do Dr. Sandy Tudhope à BBC, durante o documentário The Life and times of El Niño, veiculado pelo Discovery Channel.

*21 Nota — Ninguém é ditador de conhecimento — Este subtítulo encabeça, no seu livro Crônicas e Entrevistas, a matéria que Paiva Netto transcreve do capítulo Ecce Deus, aqui em JESUS ESTÁ CHEGANDO!

*22 Segundo o site Jornal da Ciência, de 6 de novembro de 2002, Robert Winston, como professor de Estudos de Fertilidade do Imperial College da Universidade de Londres, foi um pioneiro em trabalhos de medicina reprodutora e fertilização in vitro. É uma das principais vozes no debate sobre engenharia genética e agora está concentrado em levar os progressos científicos a séries de televisão, voltadas para os leigos no assunto. Além de especialista em fertilidade, Winston é escritor, locutor e lorde britânico.

*23 Poema do Deus Divino — Você, caro leitor, o encontra publicado em sua íntegra no terceiro volume dasDiretrizes Espirituais da Religião de Deus, p. 116, do escritor Paiva Netto. Mas, para seu deleite, seguem aqui estes versos:

 

O Deus que é a Perfeição, e que ora eu tento

Cantar em versos de sinceridade,

Eu nunca o vi, como em nenhum momento

Vi eu o vento ou a eletricidade.

 

Mas esse Deus, que é o meu eterno alento,

Deus de Amor, de Justiça e de Bondade,

Eu, que o não vejo, eu o sinto de verdade,

Como à eletricidade, como ao vento.

 

…………………………..

…………………………..

…………………………..

 

Pois creio é nesse Deus imarcescível

Que ampara a Humanidade imperfeitíssima:

Deus de uma Perfeição inacessível

À humana indagação falibilíssima.

Leitura exclusiva para assinantes.

Ecumenismo

Espiritualidade

Evangelho-Apocalipse

Revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!

Av. Marechal Floriano, 114 • Centro • Rio de Janeiro/RJ20080-002

(21) 2216-7851

jesusestachegando@boavontade.com

Pesquisar